Dicas de viagem para o Japão

Visto, melhor época para visitar, barreiras do idioma, câmbio, aeroportos e outras dicas!

16 1.931

Muitas dicas de viagem para o Japão como: visto, barreira do idioma, câmbio, moeda, transporte, passeios, hotéis, restaurantes e roteiros!

Antes de mais nada, estive em 2018 e 2019 mais tempo no Japão do que no Brasil.
Então, criei este guia para ajudá-los!

A ideia é responder a estas dúvidas mais comuns:

  • É necessário visto para o Japão?
  • Qual a melhor época para visitar?
  • Qual o tempo de voo até o Japão?
  • Quanto custa viajar para o Japão? (passagens aéreas, visto, hospedagem, alimentação, passeios)
  • Que tipo de comida vou encontrar no Japão? Só peixe cru?
  • Dá pra se virar no Japão sem falar japonês ou falando apenas inglês?
  • Qual moeda levar (dólar, real ou iene japonês)?
  • No Japão aceitam cartão de crédito?
  • Como comprar nas lojas Tax Free e o que é este imposto?
  • Vale o pena usar o trem-bala (shinkansen) e o Japan Rail Pass durante a viagem ao Japão?
  • Qual o melhor aeroporto do Japão?
  • … e muito mais!

Por isso, vamos lá!!!
No entanto, caso surja qualquer dúvida, deixem um comentário que terei prazer em ajudá-los!

Aliás, leia também o Roteiro pelo Japão: 10 dias incríveis onde detalhamos o que fazer nas províncias de Tokyo, Osaka, Himeji, Nara, Kyoto e Hiroshima!

Dicas de viagem para o Japão: VISTO

Para os brasileiros é obrigatório o visto de turismo para o Japão e o seu custo inicial é de R$ 86.

O visto geralmente tem permanência máxima de 90 dias e há uma regra muito importante, após a emissão do visto, você obrigatoriamente deve dar entrada no Japão nos próximos 90 dias.

Em princípio, também é possível solicitar um visto de múltiplas entradas com validade de 3 anos.

Seja como for, caso você tenha dupla cidadania ou seja cidadão de outra localidade, você pode estar isento do visto.

No meu caso, como tenho a cidadania alemã, vou ao Japão sem emitir o visto antecipadamente: ele é feito na  chegada ao Japão (igual ao ESTA americano).

Em resumo, o visto japonês não é dificultoso para ser emitido e você pode ir diretamente na embaixada depois de preparar toda a documentação.

No entanto, existe um departamento que trabalha oficialmente para a embaixada chamado Centro de visto japonês.

Nesse sentido, o Centro de visto Japonês cobra uma taxa adicional de serviço no valor de R$ 179.

Mas, eles atendem em mais dias e horários do que a embaixada e também oferecem um prazo menor (geralmente seu visto para o Japão fica pronto em 2 dias).

Qualquer dúvida com as taxas e documentação necessária, faça uma ligação para eles e com certeza ficará surpreso com a excelência do atendimento.

Dicas de viagem para o Japão: TEMPO DE VOO

Primeiramente você deve se preparar para no mínimo 24 horas de viagem.

Porém, tudo depende da companhia área que você optar e o tempo de espera da conexão.

Não existem vôos diretos para o Japão, mas a vantagem é que geralmente os voos com 1 escala fazem isso praticamente na metade da nossa viagem.

Aliás, em geral as conexões são nos Estados Unidos, Europa, Oriente Médio e até mesmo África.

Por fim, antes de comprar sua passagem ao Japão, atente-se para a necessidade de visto no país de conexão.

Muitas vezes é necessário apenas um visto de trânsito, relativamente barato e fácil de conseguir, mas cada país tem sua regra.

 

Dicas de viagem para o Japão: MELHOR ÉPOCA

Uma vez que conheci as quatro estações do Japão, não tenho dúvidas para responder de bate pronto!

A melhor época para viajar ao Japão é a primavera (final de março e início de abril).

Assim como o outono (mês de outubro) por causa dos atrativos e temperaturas amenas.

As estações no Japão são bem definidas.
No inverno o termômetro pode marcar abaixo de zero graus célsius.

Entretanto, o verão alcança temperaturas que passam dos 35º C e o calor é sufocante devido a maior umidade.

 

Quando evitar ir ao Japão?

Uma das principais dicas de viagem para o Japão é evitar a Golden Week.

Porque a Golden Week é um grande feriado prolongado e geralmente os destinos ficam lotados.
Em 2019, ele vai ocorrer entre 29 de abril e 6 de maio.

Por certo, outro lembrete é sobre os tufões.

Sabemos que a maior incidência de tufão no Japão é entre setembro e outubro.
Não significa que você não deva ir neste período, mas, a passagem de um tufão traz consigo alguns dias seguidos de fortes chuvas e pode atrapalhar os passeios e locomoção.

Em 2017 estive lá durante setembro inteiro e apenas um tufão me atrapalhou.

 

O que fazer no Japão na primavera?
Sakura em Kitanomaru - O aluguel dos barcos
Sakura em Kitanomaru – O aluguel dos barcos

Sem dúvida o maior destaque fica para a fenomenal florada das cerejeiras.

Antes de mais nada, vale lembrar que a florada dura apenas 10 dias.

Acima de tudo programe sua viagem para o período correto e acompanhe neste post o calendário da florada das cerejeiras por ano.

Da mesma forma, logo após os sakuras, os japoneses já tem outros incríveis eventos de primavera.

Por exemplo: as lindas tulipas e as azáleas.

Provavelmente a única desvantagem será a quantidade de turistas que estarão lá neste período.

 

O que fazer no Japão no outono?
Outono no Ginkaku-Ji O Templo de Prata em Kyoto
Outono no Ginkaku-Ji O Templo de Prata em Kyoto

Sobretudo, minha primeira viagem de turismo ao Japão foi durante o outono e estive lá por um mês.

Fiquei encantado com toda aquela vegetação com cores amarelas e avermelhadas.

Primeiramente a ideia era conhecer a Kochia, uma planta que atinge uma coloração avermelhada única e somente durante o outono.

Decerto, o clima ameno também favoreceu nossos passeios pelas regiões de:

Kyoto (lindos templos, castelos e a floresta de bambu)

Hiroshima (e a incrível reconstrução pós guerra)

Ilha de Myajima (o famoso torii no mar)

Osaka (a terra da comida e diversão no Japão)

Nara (como não se encantar com os veadinhos vivendo soltos)

 

Não vale a pena viajar para o Japão durante o verão e inverno?

De fato, claro que vale a pena!
Até porque viajar é o melhor investimento que podemos fazer nas nossas vidas.

Uma das principais dicas de viagem para o Japão durante o verão, é o incrível Hanabi Taikai – festival de fogos de artifício, uma das experiências mais marcantes da minha vida!

Assim sendo, também é uma ótima época para conhecer a região sul com as lindas praias da ilha de Okinawa.

Todavia no inverno, se a ideia for se divertir na neve, porque não seguir até Niigata numa rápida viagem de trem bala até uma estação de ski? Pouco mais de 300 km distante de Tokyo!

 

Dicas de viagem para o Japão: QUANTO CUSTA?

Antes de mais nada, lembre-se que qualquer viagem envolve no mínimo: passagens aéreas, visto, hospedagem, alimentação, passeios e seguro de viagem.

Por certo, como o assunto é muito extenso, escrevi o guia Quanto custa viajar para o Japão?

Em resumo, chegamos a conclusão de que é necessário pelo menos R$ 6.000 para conhecer o Japão durante 10 dias, porém, o valor oscila muito em decorrências de vários fatores.

Por fim, leia o tópico indicado acima que o assunto é tratado minuciosamente e vai te ajudar bastante!

Além disso, em todos os passeios e dicas de restaurante que deixo aqui no blog, sempre detalho os valores ao final.

 

Dicas de viagem para o Japão: ALIMENTAÇÃO

A alimentação não será um problema.

É provável que muitas pessoas tenham receio antes de viajar ao Japão e pensem que só vão encontrar peixe crú nos restaurantes! risos

Comidas do Japão: Yakiniku com camarão
Comidas do Japão: Yakiniku com camarão

Antes de tudo, podem ficar tranquilos!
Você não vai passar fome com a fantástica culinária japonesa.

Além disso, muitas das receitas usam como base o arroz, macarrão, carnes de boi, porco, frango e frutos do mar.

No Japão é possível fazer uma refeição completa por ¥ 850 (R$ 30,00 em 2018).

Confira este tópico onde falo sobre as melhores comidas do Japão e dou também dicas de como economizar nos restaurantes.

Ao mesmo tempo aproveito também para falar sobre sushi, sashimi, lamen, gyoza, okonomiyaki, takoyaki, onigiri, tempura, tonkatsu, sukiaky e várias outras delícias da culinária japonesa!

 

Dicas de viagem para o Japão: IDIOMA

O mais importante antes de viajar
Pelo visto sua diversão está próxima! NUNCA viaje SEM seguro de viagem!
Eu mesmo, com apenas R$ 90, fui para à Europa com todas as coberturas e tranquilidade garantida!
Voo atrasado, bagagem extraviada, acidente ou despesas médicas? Não estrague sua viagem!

Seguros Promo

Ganhe 5% de desconto no seu seguro de viagem com o cupom de desconto CALCULODAROTA5
Ahhh.. E pagando com boleto bancário você ganha outros 5% de desconto!
Ou seja, 10% de desconto no total e pagando até em 12x!

Por fim, tire todas as dúvidas sobre seguro de viagem, obrigatoriedade para Europa (Schengen) e coberturas!

Ainda mais com as Olimpíadas de 2020 que serão realizadas no Japão, o país tem se preparado bem pra receber os turistas.

O túnel com milhares de torii vermelhos do Fushimi Inari
O túnel com milhares de torii vermelhos do Fushimi Inari

As placas de informações nos trens e metrôs já estão quase que em totalidade em inglês, cores ou números para facilitar.

Em Tokyo, Osaka, Kyoto e outras grandes cidades onde o foco é o turismo, é quase certeza de encontrar funcionários falando inglês (mesmo que bem básico) nos guichês de atendimento e lojas.

Todavia, conforme você vai para regiões mais afastadas ou procura alguns programas locais, o inglês pode ser mais dificultoso. Mas não impossível.

Acima de tudo o povo japonês é muito prestativo e terá o maior prazer em ajudar em qualquer idioma.

Já que todos os menus de restaurantes possuem fotos, não será difícil realizar pedidos mesmo que tenha que apelar para a mímica. risos

De fato, nos pontos turísticos como os grandes templos, por exemplo, você encontra além dos atendentes, os papéis informativos do lugar em inglês.

Por fim, se você estiver andando em meio aos turistas também encontrará dezenas que falam inglês também.

Em síntese, vá sem medo!

Procure um anfitrião

Contudo, é sempre prazeroso estar com os locais.
Se você conseguir um anfitrião para te levar em alguns locais típicos, acompanhar cerimônias, etc, sua experiência pode se tornar mais imersiva e interessante.

Digo isso porque dos 7 meses que passei no Japão até agora, eu poderia dizer que metade do tempo eu estava absolutamente sozinho e me virando apenas com meu inglês básico e foi super tranquilo.

Entretanto, na outra parte do tempo eu estava ou com a Yumi (brasileira alfabetizada em português/japonês) ou com o pessoal do trabalho, que apesar de estrangeiros já vivem lá há mais de década.

E algumas experiências foram mais divertidas tendo os locais para explicar todas as novidades.

 

Dicas de viagem para o Japão: CÂMBIO E CARTÕES

Acima de tudo, o principal meio de pagamento no Japão é o dinheiro e diretamente na moeda local: o iene.

Ao caminhar pela cidade de Nara você encontrar milhares de veadinhos!
Os veadinhos que andam soltos na região de Nara!

Todavia não se preocupe em fazer o câmbio, leve dólares consigo e dependendo do seu roteiro pesquise a melhor cotação de casa de câmbio.

Em Tokyo geralmente obtive as melhores cotações no bairro de Shinjuku (porque são várias casas de câmbio) e também na estação de Ueno.

Todavia, o câmbio praticado nos aeroportos de Haneda e Narita (na área fora do desembarque) não é dos piores não.
Troque o suficiente de dinheiro na saída do aeroporto, já que o aeroporto é distante e você não vai voltar lá tão cedo e o resto troque nas ruas.

Cheguei a ver cotação de casa de câmbio, onde os valores do aeroporto estavam melhores.

E os cartões de débito e crédito?

Certamente os japoneses não estão muito acostumamos com o cartão de crédito ou débito.

Sobretudo em face a toda a segurança que existe no Japão, é comum realizarem saques nos caixas eletrônicos em qualquer lugar e em qualquer horário.

Entretanto, é claro que nos hotéis e grandes restaurantes você vai encontrar cartão de crédito disponível.

Mas, também há outra questão. Vai valer a pena usar o cartão de crédito internacional?
Lembre-se que pagamos IOF de 6,38% em cada transação.

Além disso, a cotação da moeda será sempre mais favorável ao banco emissor do cartão.

 

Dicas de viagem para o Japão: TAX FREE

Que tal 8% de desconto nos eletrônicos, perfumes, tênis e roupas?

Acima de tudo, se você pretende comprar por exemplo uma câmera e este item não ficará no Japão, ou seja, retornará contigo ao seu país de origem, você pode comprá-lo sem os 8% dos impostos aos moradores locais.

Antes de mais nada, o valor mínimo da compra deve ser de ¥ 5,000 (em 2018, algo como R$ 170 ou US$ 45).

Não são todas as lojas que participam, mas as grandes franquias estão inclusas como: Bic Camera, Yodobashi Camera, Tokyu Hands, Don Quijote / Donk J, H&M, Zara, Uniqlo, etc.

Para isso, basta apresentar seu passaporte com o visto de turismo no momento da compra.
Uma cópia do cupom fiscal será grampeada no seu passaporte.

Aliás, vale lembrar que este desconto é para a compra do item.

Este imposto não tem relação com o imposto de importação.

Ou seja, se você estiver trazendo para o Brasil algum item que se aplique o imposto de importação, você deverá fazê-lo na fiscalização alfandegária no momento da sua entrada no País.

 

Dicas de viagem para o Japão: TREM BALA

O Shinkansen deixa a conta do transporte mais salgada, mas é disparado o melhor meio de transporte que já utilizei.

Aliás, além de se deslocar a mais de 300 km/hora, outra vantagem é o fácil embarque e desembarque.

Você leva suas malas no próprio vagão, tem poltronas espaçosas e o trem é muito silencioso e seguro.

Seu embarque é numa simples estação de trem no meio das cidades.
Imagine o tempo economizado numa comparação com deslocamento até aeroporto, raio X e despacho de bagagens.

Ao mesmo tempo que você vê as cidades passando como um raio pela sua janela, o trem simplesmente não balança
É possível deixar um copo de água cheio na sua mesinha, do começo ao fim da viagem!

Antes de tudo, confira o guia Trem bala do Japão para aprender como ele funciona, planejar rotas, onde e como comprar os tickets, as estações e cidades atendidas.

Não volte do Japão sem embarcar pelo menos uma vez num Shinkansen.
Por R$ 100,00 é possível utilizar um trecho curto entre uma cidade e outra.

Nesse sentido, uma dica que deixo se você for durante o inverno, é utilizar um pacote para a região de Niigata e conhecer a estação de ski em Gala Yuzawa.

Um bate volta entre Tokyo e Niigata, onde o preço do pacote com o transporte e acesso ao resort vale muito a pena!

E se for conhecer várias cidades ou províncias numa viagem mais longa, chegou agora uma das mais importantes dicas de viagem para o Japão, para economizar bastante com o transporte!

 

Dicas de viagem para o Japão: JAPAN RAIL PASS

Shinkansen Max Tanigawa com 2 andares, indo de Tokyo a Gala Yuzawa
Shinkansen Max Tanigawa com 2 andares

Antes de mais nada, o Japan Rail Pass é um passe que te permite utilizar quantas vezes quiser o trem bala (Shinkansen) e os trens locais da JR (a maior operadora de trem) por todo o Japão num período de 7, 14 ou 21 dias.

Aliás, o preço já pode te assustar então é aí que começam as contas pra saber se vale a pena comprá-lo.

Uma comparação que a própria empresa faz é que com o preço de um ticket para o trem bala (Shinkansen) entre Tokyo e Kyoto, você gastaria o mesmo valor podendo conhecer o restante do Japão em 7 dias.

Em resumo os preços partem de R$ 970 para 7 dias, R$ 1.550 para 14 dias e R$ 1.980 para 21 dias para os chamados trens comuns (shinkansen + locais).

E também existe um ticket Green 1st Class, a tal primeira classe que te dá alguns benefícios.
Principalmente, embarcar já com um lugar reservado, num vagão especial e mais espaçoso.

O valor de uma passagem de ida com o Shinkansen de Tokyo para Hiroshima era o equivalente a ¥ 18,040 (US$ 160 ou R$ 600 em 2018). De ônibus o trajeto custaria algo como ¥ 6,000 (um terço do preço do trem bala, mas levaria muito mais horas).

A decisão então foi fácil, valia a pena pra mim comprar o JR Pass de 7 dias, no primeiro dia ir direto até Hiroshima e na volta, regressar com mais calma parando nas outras cidades (indo de Shinkansen).

Japan Rail Pass, vale a pena ou não?

Como resultado montei um espetacular guia chamado Saiba TUDO sobre o Japan Rail Pass!

Por exemplo, discuto no tópico acima todos os fatores que você tem que levar em conta para decidir a compra.

Além disso, está lá totalmente explanado o processo de compra, ativação e uso do Japan Rail Pass (você deve comprá-lo antes de ir ao Japão).

Por certo, deixo também todas as regras e condições de uso, dicas de rotas, reservas de assentos e muitos mais!

 

Dica de viagem para o Japão: AEROPORTO

SakuraNoYama Park: cerejeiras e aviões num mesmo lugar
SakuraNoYama Park perto de Narita

Sem dúvida, muitos me perguntam: qual o melhor aeroporto do Japão?

Por exemplo, a região de Tokyo possui 2 aeroportos:

  • Haneda, o mais antigo e mais próximo de Tokyo
  • Narita, o mais moderno e pouca coisa mais distante

Seja como for, geralmente uma companhia aérea saindo do Brasil pousa em apenas 1 destes aeroportos.

A Lufthansa e a Air France, por exemplo, ainda utilizam alguns voos para Haneda.

A grande parte das companhias aéreas pousam atualmente em Narita.

Aliás, foi o que aconteceu comigo nos voos via United Airlines, Ethiopian Airlines, Swiss e KLM.

Por fim, não se preocupe porque chegar na região de Tokyo será muito fácil nos 2 aeroportos.

Ambos oferecem serviço de ônibus executivo (chamado Limousine Bus), trem e trem rápido.

Apenas atente-se para o custo, porque um trem rápido entre Narita e Tokyo pode custar mais do que ¥ 4,000 (R$ 135 em 2018).

Em contrapartida, descobri recentemente um ônibus que opera entre Narita e Tokyo, com saídas a cada 15 minutos e que custa apenas ¥ 1,000 (R$ 35 em 2018), é o The Access Narita.

 

Em conclusão, agora é só curtir a viagem!
Porém, caso tenha restado alguma dúvida, deixe um comentário pra gente!

 

 

Encontre hotéis, pousadas e até hostels MUITO mais barato e para qualquer destino no mundo:

Booking.com

Seguros Promo

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

16 Comentários
  1. Ruthia Diz

    Parabéns pelo seu leque de dicas super completo. Passar tantos meses no Japão e ter visto os lugares em diferentes estações do ano deve ter sido uma experiência maravilhosa. Para além que assistiu aos pontos altos do ano no país. Sigo para o post com o roteiro!!

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Obrigado Ruthia!

      E aproveito a oportunidade para desejar um Feliz Natal!

  2. Victoria Diz

    Temos loucura para viajar para o Japão e são posts como esse que nos fazem sentir mais vontade, obrigada. 🙂

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Muito 10, Victoria!

      Como eu costumo brincar com o pessoal, o único problema do Japão é que a gente não quer mais sair de lá! hahaha

  3. Carla Mota Diz

    Quantas dicas boas! Eu quando fui estive bastante indecisa em comprar o Rail Pass ou não depois optei por comprar e não me arrependi.

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Verdade Carla!

      O Japan Rail Pass deixa a gente em dúvida até o último minuto.
      Mas, em grande parte dos roteiros e viagens por lá, ele acaba sendo útil e econômico.

      Tenho um amigo que foi pra usar o de 7 dias, mas teve uns imprevistos no trabalho e conseguiu usar apenas por 3 dias e depois já teve que retornar ao trabalho.
      Mesmo em 3 dias de uso, ele já conseguiu fazer valer a pena pelo custo. hehehe

  4. Mariana Diz

    Adorei esse post! Tenho muita vontade de visitar o Japão! Vou salvar essas dicas e espero em breve começar a planejar uma viagem para conhecer esse país que muito me encanta.

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Planeja sim, Mariana!

      Eu ainda não conheço muitos países, mas até agora é o mais encantador dos lugares por onde passei!

  5. Helen Pusch Diz

    Ótimas dicas!
    Viajo para o Japão com meu marido no final de janeiro/19 , estou 50% empolgada e 50% sem acreditar muito que realmente vamos para lá! 😀
    Eu ainda não tinha lido nada sobre esse ônibus “The Acces”, vai ser ótimo para nós! Obrigada!

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Olá Helen! Que barato!

      Estou retornando ao Japão também em janeiro, saio do Brasil dia 18! Se me vir passando, me chama!! kkkkk

      Aproveitem a viagem, vocês vão adorar!

  6. Edson Amorina Jr Diz

    Que post completinho, muito legal e vem bem a calhar, estamos pensando em ir para o Japão, muito boas informações.

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Grande Edson!
      O legal é que agora está tudo no pique já pras Olimpíadas de Tokyo 2020! O que já era bom, tá ficando melhor ainda!

  7. Fabíola Moura Diz

    O Japão sempre me pareceu um destino tão inacessível por várias razões, mas você deixou tudo tão didático que deu até pra se animar, rs. Esses detalhes são mesmo importantes para ajudar na organização. Obrigada por reunir tudo de maneira clara e simples.

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Olá Fabíola, obrigado!

      Eu acredito que o maior problema do Japão, é que quando alguém vai conhecer, não quer mais ir embora! hehehehe

      Aproveite pra conhecer sim! Recomendo muito!

  8. Aline Aguiar Diz

    Encarar as 24h de viagem, eu encaro, mas acho que não tenho coragem de encarar o verão por lá não! Já a comida em encaro com certeza!!! rs.

    1. Novo Cálculo da Rota Diz

      Verdade mesmo Aline!

      Quando me perguntam sobre o verão japonês, eu recomendo só pras regiões de praias!
      Porque ali dentro da cidade é bem complicado aguentar aquele calorão todo!
      Primavera e outubro são realmente a melhor época!

      Mas, pra comida japonesa, qual estação é maravilhosa. haahhaha

      Feliz Natal!