Blog de viagens com roteiros, destinos, dicas de hospedagem e passeios.

Febre Amarela: Vacinação e CIVP no mesmo dia em SP!

Apenas com 15 minutos de espera para a vacina em Janeiro de 2018

2 3.539

Primeiramente, tomei a vacina contra Febre Amarela em São Paulo numa UBS com uma espera de apenas 15 minutos e ainda no mesmo dia emiti o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia).

Contudo, se você vai viajar, leia o tópico com atenção para tirar suas dúvidas sobre a dose fracionada ou dose única da vacina.

Uma série de notícias desencontradas promoveram um terror na população agora no começo de 2018. Antes de tudo, calma. Não há motivo para pânico com a Febre Amarela!

A ANVISA recomenda a vacinação somente para os moradores de área de risco ou quem vai viajar para algum lugar com o foco do mosquito transmissor.

Por fim, a população de São Paulo se desesperou com algumas notícias veiculadas e promoveram uma correria aos postos de saúde formando filas de até 6 horas de espera, chegando nas UBS (que abrem as 7 da manhã) e fazendo fila desde a meia-noite!

O problema é que estou com uma viagem marcada para um País que exige a vacinação e para isso, preciso tomar a vacina contra a Febre Amarela e fazer a emissão do CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia).

Todavia, a maior questão é a quantidade de informações desencontradas com a ANVISA, então abaixo vou descrever tudo o que você precisa saber sobre a vacinação contra Febre Amarela e os requisitos para emitir o CIVP.

 

Qual o preço para uma vacina contra Febre Amarela na rede particular?

Decerto, algumas clínicas particulares estavam cobrando até R$ 350 para uma vacina (o valor normal era R$ 120).

Era a opção que eu tinha pelo curto prazo, porém, as vacinas de Febre Amarela também se esgotaram nas clínicas particulares e em todas de SP que eu liguei, a informação é que os fabricantes da vacina iriam destinar todas as doses para o governo.

 

Onde tomar a vacina contra Febre Amarela na rede pública?

Se você é de São Paulo, basta ir à qualquer posto de saúde ou UBS que estão listadas aqui.

Em Belo Horizonte, confira o blog Diário de Navegador com a vacinação para MG.

Portanto, como sou da zona sul de São Paulo, tentei ir primeiramente na UBS Jardim Miriam I (Av Cupecê) e desisti após ver a fila de 1 quilometro!

Ao mesmo tempo, recebi a dica que a UBS de Itapevi no Parque Suburbano estava com poucas filas, peguei a estrada e cheguei lá as 7 hs da manhã e realmente havia pouca fila.

Como resultado, o problema é que não havia a vacina disponível naquele dia e voltei pra casa.

Portanto, no dia 22/01/2018 recebi uma dica de que a UBS Alto da Rivieira estava com poucas filas.

Porém, se você olhar na página oficial de São Paulo, esta UBS não consta como posto de vacinação contra a Febre Amarela.

 

Vacina da Febre Amarela sem filas em São Paulo

Hoje, dia 23, as 09 hs da manhã liguei na UBS (11 – 5898-5757).

Fui atendido por uma rapaz super simpático que me informou que havia a vacina disponível.

Ao mesmo tempo, perguntei sobre a fila e ele me disse que a UBS havia recebido 500 doses naquele dia e ele não conseguia ver a fila de onde estava, mas que a última vez que viu haviam umas 40 pessoas na fila.

Assim, não tive dúvida, parti para a UBS Alto da Rivieira!

Primeiramente, o segurança me perguntou se eu já tinha o cartão do SUS, informei que sim (caso contrário é necessário pegar uma outra fila ao lado pra fazer seu cadastro na hora e depois tomar a vacina – não esqueça de levar seus documentos, RG, CPF e comprovante de endereço).

Cheguei lá as 10:30 hs e haviam 3 pessoas na fila e me deram a senha de número 267 (das 500 disponíveis).

Enfim, passei pela triagem para ver se eu poderia tomar a vacina e fui direto para a sala receber a dose única.

Dose única!! Isso é muito importante pra quem vai viajar e explicarei mais abaixo!

Em 15 minutos fui embora da UBS com a vacina tomada!

dica – ubs

 

 

UBS Alto da Rivieira (região da represa do Guarapiranga – Zona Sul de São Paulo)
Av. Professor Mario Mazagão, 194
Alto da Riviera, São Paulo – SP – CEP 04929-080
(11) 5898-5757

Importante!!
Leve sua carteirinha de vacinação e cartão do SUS.

Comprovante de Vacinação contra a Febre Amarela
Comprovante de Vacinação contra a Febre Amarela

 

Como achar uma UBS com menos filas?

Pelo que pude observar, o motivo desta UBS Alto da Rivieira não estar com filas é que simplesmente ela não está na lista dos locais de vacinação contra a Febre Amarela.

Isto é, na própria UBS ouvi pessoas dizendo que outras UBS da periferia estavam com poucas filas.

Então, que tal ligar na UBS do seu bairro, mesmo que não esteja cadastrada como posto de vacinação e ver se eles tem a dose da vacina?

Ajude ao próximo
Caso descubra alguma outra, por favor, indique nos comentários para ajudar os viajantes!

A principio, apenas tome cuidado porque devido ao surto da doença, algumas regiões como Mairiporã estão exigindo comprovante de endereço ou comprovante de trabalho na região!

Fora que, você não vai correr o risco de ir numa região com o foco do mosquito para tomar a vacina né?

 

Emissão do CIVP para os viajantes!

Em resumo, CVIP é o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia.

Ou seja, é um documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional.

Além disso, ele é OBRIGATÓRIO para entrar em alguns países.

Com o surto da Febre Amarela em 2017 a lista dos que obrigam a vacina aumentou e já chega a 135 Países (como: Bolívia, Venezuela, Cuba, Costa Rica, Índia, Vietnã, etc).

Posteriormente, confira a lista completa dos países que exigem o CIVP no final deste post.

Se bem que, a situação do nosso País é tão deplorável, que a partir de 17/Julho/2017 este certificado passou a ser emitidos APENAS para quem comprovar uma viagem marcada para um destes Países.

Por que? Simplesmente por falta de papel do certificado.
De fato, O Brasil, nossa pátria amada, está passando tantas dificuldades com a roubalheira desenfreada, lava jato e corrupção, que não tem um papel timbrado para imprimir o certificado do viajante!!!

Mas, vamos lá… Nada vai estragar meu dia!

Visto que voltei da UBS com a vacina tomada e fui pesquisar o que precisava para emitir a tal CIVP.

 

Procedimento Teórico para emitir o CIVP – Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

Encontrei no próprio site da ANVISA as informações:

  1. Tomar a vacina contra a Febre Amarela e guardar o comprovante com carimbo e assinatura;
  2. Realizar seu cadastro de viajante no Site da ANVISA (clique no botão CADASTRAR NOVO);
  3. Realizar agendamento em um dos COV – Centro de Orientação ao Viajante (por exemplo: Aeroporto de Congonhas)

Perfeito!
Afinal, já estava com o comprovante da vacina em mãos e fiz meu cadastro em www.anvisa.gov.br/viajante

Contudo, agora bastava o agendamento, no próprio site da ANVISA.

Embora seja um website de uma organização governamental, a programação do site é totalmente defasada.

Isto é, eu não conseguia efetuar o agendamento em nenhum COV para emitir o meu certificado internacional de vacinação!

Assim sendo, quando escolhia o Aeroporto de Congonhas, todos os horários apareciam já como agendado ou fechado.

Agendamento no Centro de Orientação de Viajantes - PA-Congonhas: sem datas
Agendamento no Centro de Orientação de Viajantes – PA-Congonhas: sem datas

Além disso, quando tentava selecionar outro COV, como o “Ambulatório de Especialidade Penha – Dr Maurice Pate” ou “UBS Vila Prel Antonio Bernardes de Oliveira” o site retornava a mensagem “Não existem horários disponíveis para JANEIRO 2018” (nem pra fevereiro, março, outubro.. nada):

Agendamento no Centro de Orientação de Viajantes - UBS Vila Prel: sem datas
Agendamento no Centro de Orientação de Viajantes – UBS Vila Prel: sem datas

A saber, tentei ligar na ANVISA, Ponto Atendimento, PA-Congonhas, telefone (11) 5090-9228.
Simplesmente ninguém te atende.

 

Procedimento PRÁTICO para emitir o CIVP – Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

Afinal, como moro há 30 minutos do aeroporto, resolvi ir diretamente lá.

Primeiramente, chegando ao Posto de Atendimento da ANVISA no Aeroporto de Congonhas, já vi este cartaz:

Cartaz da ANVISA no Aeroporto de Congonhas
Cartaz da ANVISA no Aeroporto de Congonhas
Transcrição
Comunicamos que nosso horário de atendimento para emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia da Febre Amarela – CIVP é de segunda a sexta-feira das 09:00 as 15:00 horas, mediante o agendamento no site oficial da ANVISA. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO E PROFILAXIA DA FEBRE AMARELA – CIVP: Documento de identidade original oficial com foto; Comprovante de vacinação contra Febre Amarela; Fazer o pré-cadastro no site da Anvisa: www.anvisa.gov.br/viajante e comprovação da viagem. Obs: o CIVP somente será emitido para os viajantes que se destinam a países que o exigem.

Na porta de entrada, estava a distribuição de senha de atendimento, que tinha colado nele outro aviso que esclarecia tudo:

Aviso no PA-Congonhas da ANVISA sobre o CIVP - Certificado Internacional de Vacinação
Aviso no PA-Congonhas da ANVISA sobre o CIVP – Certificado Internacional de Vacinação
Transcrição
PARA SER ATENDIDO:

1-Realize o cadastro e o agendamento no site da Anvisa (www.anvisa.gov.br/viajante);

2-Informe no Guichê o horário do seu agendamento;

3-Tenha a mão documento original com foto e o comprovante da vacina contra febre amarela;

4-Sem o agendamento é necessário estar com o comprovante de viagem para um país que tenha a exigência do CIVP.

Portanto, resolvido!

A saber, conversando com outros viajantes que ali estavam, também me informaram que não estavam conseguindo realizar o agendamento. Outros que já tinham feito o agendamento dias antes, não estavam recebendo o email de confirmação.

DICA – CIVP

 

 

Assim, o mais prático então, é ir direto ao CAV – Centro de Apoio da Viajante da ANVISA no Aeroporto de Congonhas, levando:

  • Seu RG
  • Comprovante de vacinação da Febre Amarela
  • Comprovante de viagem (pode ser a passagem, uma carta convite de trabalho, cursos, palestras)

No dia 23/01/2018, peguei 2 horas de fila, mas sai com meu CIVP em mãos.

Veja abaixo um exemplo do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia
(International Certificate of Vaccination or Prophylaxis):

Exemplo do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia - CIVP
Exemplo do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP

Contudo, observe que apesar de ter feito no dia 23 de Janeiro, o certificado vale a partir de 2 de Fevereiro de 2018, afinal, a vacina contra a Febre Amarela deve ser aplicada no mínimo 10 dias ANTES da sua viagem.

Acima de tudo, tomei a vacina de dose única que dá proteção para a via toda, por isso veja que a validade está descrita como 2-Fev-2018 à LIFE (não se incomode com o erro ortográfico entre inglês e português do certificado, sempre foi assim).

IMPORTANTE:  Se você for viajar, você deve tomar a DOSE ÚNICA!!

 

Viajantes: Febre Amarela – Dose única ou fracionada (atenuada)?

Primeiramente, não vou discutir a segurança da dose única ou dose fracionada, a questão aqui é que se você for viajar você precisa da dose única.

Isso é porque o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia segue as regras da OMS e a vacina de dose fracionada dá proteção para 8 anos e não para a vida toda.

Todavia, se você tomar a dose fracionada, você estará seguro de acordo com o Ministério da Saúde, porém, você não poderá emitir o CIVP!

Assim sendo, se você já tomou a dose fracionada e precisar tomar a dose única para uma viagem, deverá esperar no mínimo 30 dias entre uma vacina e outra!

Então avalie bem para não perder o prazo da sua viagem!

 

Outras dúvidas sobre a vacina contra a Febre Amarela

fonte: globo.com

Quem pode tomar a vacina da febre amarela?

Primeiramente, a vacina está indicada para todas as pessoas de 9 meses até 60 anos de idade que não tenham nenhuma contraindicação.

Quem não pode tomar a vacina? Quais as contraindicações?
  1. Imunossupressão: Esta é principal contraindicação. Isso significa que as pessoas que por alguma razão estejam com o sistema imunológico comprometido por quaisquer doenças ativas que cursem com imunossupressão e/ou pelo uso de quaisquer medicamentos que levem à imunodepressão – como quimioterápicos ou corticoides em altas doses- não devem receber a vacina.
  2. Gestantes: APENAS as gestantes que moram em área de extremo risco, localizadas em 75 municípios do Brasil, devem tomar a vacina. Não há orientação para vacinar as gestantes que NÃO residem nestas áreas.
  3. Alergia Grave ao OVO: Pessoas que tem alergia importante e grave ao ovo não devem receber a vacina.
  4. Bebês com menos de 6 meses de idade: O vírus da vacina pode causar problemas neurológicos nos bebês pequenos. As mães que amamentam bebês com menos de 6 meses de idade também NÃO devem receber a vacina, a não ser em situações de risco muito específicas, uma vez que depois da vacina estas mães devem ficar pelo menos 10 dias sem amamentar.

Porém, o leite deste período deve ser desprezado, o que é uma pena. Por isso, recomenda-se que mães lactantes de bebês com menos de 6 meses sejam individualmente avaliadas para que se possa ponderar o risco e o benefício da vacina ante a interrupção da amamentação.

A vacina dá muitos efeitos colaterais?

Sobretudo, os efeitos colaterais mais comuns da vacina da febre amarela são os mesmos das outras vacinas: um pouco de dor no local da aplicação, dor no corpo, febre e mal estar. Importante lembrar que nem todas as pessoas apresentam estes sintomas.

Quantas doses são necessárias para garantir proteção?

UMA dose protege a vida toda, segundo os estudos mais recentes. Por isso, quem já tomou pelo menos UMA dose da vacina na vida NÃO precisa se revacinar, mesmo que esta dose tenha sido ministrada há mais de 10 anos.

Ademais, a única exceção é para as crianças de 9 meses a 5 anos de idade. Quem recebeu uma dose neste período deve receber um reforço depois dos 5 anos.

Recebi um certificado de vacina contra a febre amarela para viajar e lá consta que devo fazer uma dose de reforço depois de 10 anos. Isso está valendo?

NÃO. Não está valendo mais. Esta era a orientação antiga que foi atualmente reformulada. As autoridades de saúde reconheceram que apenas UMA dose é suficiente para garantir proteção.

E a dose fracionada? Funciona?

SIM. A dose fracionada da vacina, que começa em fevereiro de 2018 foi deliberada com o intuito de garantir proteção para um número maior de pessoas.

Todavia, deve-se entender que a produção das vacinas contra febre amarela é limitada e não há como suprir as demandas de toda a população.

De certo, em vista disso, havia duas caminhos opções: vacinar integralmente apenas uma parte da população, deixando milhões de pessoas sem proteção; ou vacinar fracionadamente um número maior de pessoas, mais exatamente cinco vezes mais, quintuplicando a quantidade de gente vacinada e garantindo uma cobertura muito maior.

Quanto tempo dura a proteção da dose fracionada?

Enfim, segundo os estudos realizados em Bio-Manguinhos/ Fiocruz a duração da vacina fracionada é de 8 anos.

Isso é suficiente?

Sim. Em épocas de surtos funciona bastante. Imaginem que a febre amarela é transmitida pela picada do mosquito contaminado. Como este mosquito se contamina? Picando uma pessoa com o vírus.

Assim, quanto maior o número de pessoas protegidas menor o número de mosquitos contaminados e consequentemente menor o número de pessoas infectadas. Resultado: consegue-se a contenção do surto naquele ano.

Todavia, não custa nada lembrar que os mosquitos transmissores de várias doenças podem se proliferar no lixo que todos nós largamos de forma irresponsável pelas ruas.

 

Lista dos Países que exigem a vacina contra Febre Amarela em 2018

  • Afeganistão
  • África do Sul
  • Albânia
  • Antígua e Barbuda
  • Angola
  • Anguilla
  • Antilhas Holandesas
  • Arábia Saudita
  • Argélia
  • Austrália
  • Bahamas
  • Bangladesh
  • Bahrain
  • Barbados
  • Belize
  • Benin
  • Bolívia
  • Botsuana
  • Brunei
  • Burkina Fasso
  • Burundi
  • Butão
  • Cabo Verde
  • Camboja
  • Camarões
  • Cazaquistão
  • Cingapura
  • Chade
  • China
  • Colômbia
  • Congo
  • Coreia do Sul
  • Costa Rica
  • Costa do Marfim
  • Djibouti
  • Dominica
  • Egito
  • Equador
  • Eritreia
  • El Salvador
  • Etiópia
  • Fiji
  • Filipinas
  • Gabão
  • Gâmbia
  • Gana
  • Guiné Equatorial
  • Granada
  • Guadalupe
  • Guatemala
  • Guiana Francesa
  • Guiné
  • Guiné-Bissau
  • Haiti
  • Honduras
  • Iêmen
  • Ilhas Maurício
  • Ilhas Reunião
  • Ilhas Salomão
  • Ilhas Seychelles
  • Índia
  • Indonésia
  • Irã
  • Iraque
  • Jamaica
  • Jordânia
  • Kiribati
  • Laos
  • Lesoto
  • Líbano
  • Libéria
  • Líbia
  • Madagáscar
  • Malaui
  • Malásia
  • Maldivas
  • Mali
  • Malta
  • Martinica
  • Mauritânia
  • México
  • Mianmar
  • Moçambique
  • Montserrat
  • Namíbia
  • Nauru
  • Nepal
  • Nova Caledônia
  • Nicarágua
  • Níger
  • Nigéria
  • Omã
  • Panamá
  • Papua-Nova Guiné
  • Paquistão
  • Paraguai
  • Quênia
  • Quirguistão
  • República Centro-Africana
  • República Democrática do Congo
  • Ruanda
  • São Cristóvão e Nevis
  • São Vicente e Granadinas
  • Saint-Barth
  • Saint Helena
  • Saint Martin
  • Samoa
  • Santa Lúcia
  • São Tomé e Príncipe
  • Senegal
  • Serra Leoa
  • Somália
  • Sri Lanka
  • Sudão
  • Suazilândia
  • Suriname
  • Tailândia
  • Tanzânia
  • Timor Leste
  • Togo
  • Trinidad e Tobago
  • Tunísia
  • Uganda
  • Venezuela
  • Vietnã
  • Zâmbia
  • Zimbábue

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

2 Comentários
  1. Andre Diz

    Tomei dose única ha 11 anos e Meu certificado internacional tinha validade de 10 anos. Hoje nao é necessário tomar outra dose. Mimha dúvida é: no exterior, podem me bloquear por meu certificado ter validade (vencida) de 10 anos? Se eu levar na ubs ou anvisa meu certificado, entregam um novo sem validade? VALEU

    Recebi um certificado de vacina contra a febre amarela para viajar e lá consta que devo fazer uma dose de reforço depois de 10 anos. Isso está valendo?
    NÃO. Não está valendo mais. Esta era a orientação antiga que foi atualmente reformulada. As autoridades de saúde reconheceram que apenas UMA dose é suficiente para garantir proteção.

    1. novocalculodarota Diz

      Grande Andre, acredito que vc pode ter problemas com a data de validade vencida. Tentar explicar fora do nosso país, que aquela data de validade não se aplica mais, pode ser um tanto complicado dependendo do destino que vc pretende viajar.

      Lembro uma vez de um amigo comentando que foi a um país que necessitava de um seguro viagem para entrar. Ele chegou com seu seguro de viagem onde estava escrito que a validade era para “ALL COUNTRIES”. Mas, o rapaz da fronteira só queria liberá-lo caso visse escrito no seguro de viagem o nome do país dele. risos
      Por sorte ele conseguiu emitir um novo e este com o nome do país descrito.

      E pra vc deve ser fácil, indo com o seu certificado atual devem te emitir um novo e com a data de validade eterna!

      Agora que já acabou o surto, não há mais tantas filas e o telefone tb já deve estar funcionando novamente. Vc é de SP? Já tentou ligar em Congonhas?

      Grande abraço e boa sorte!